A NR 26 – Sinalização de Segurança descreve as cores que devem ser adotadas para a segurança de estabelecimentos ou locais de trabalho, para indicar e advertir acerca dos riscos.

Vermelho é usado com sentido de advertência de perigo, para distinguir e indicar equipamentos e aparelhos de proteção e combate a incêndio; Amarelo deverá ser empregado para indicar “Cuidado!”; Branco será empregado passarelas e corredores de circulação, por meio de faixas de direção e circulação; Preto será utilizado para indicar as canalizações de inflamáveis e combustíveis de alta viscosidade e poderá ser usado também em substituição ao branco, ou combinado a este, quando condições especiais o exigirem; Azul será utilizado para indicar “Cuidado!”, ficando o seu emprego limitado a avisos contra uso e movimentação de equipamentos, que deverão permanecer fora de serviço; Verde caracteriza “segurança” em canalizações de água, caixas de equipamento de socorro de urgência, caixas contendo máscaras contra gases, chuveiros de segurança, macas, fontes lavadoras de olhos, etc.; Laranja deverá ser empregado para identificar as canalizações contendo ácidos, partes móveis de máquinas e equipamentos; Púrpura deverá ser usada para indicar os perigos provenientes das radiações eletromagnéticas penetrantes de partículas nucleares; Lilás utilizado para indicar canalizações que contenham álcalis. As refinarias de petróleo poderão utilizar o lilás para a identificação de lubrificantes; Cinza claro, deverá ser usado para identificar canalizações em vácuo e Cinza escuro, utilizado para identificar eletrodutos.

O alumínio será utilizado em canalizações contendo gases liquefeitos, inflamáveis e combustíveis de baixa viscosidade (ex. óleo diesel, gasolina, querosene, óleo lubrificante, etc.). Marrom pode ser adotado, a critério da empresa, para identificar qualquer fluído não identificável pelas demais cores. Deve-se também classificar, realizar rotulagem preventiva e disponibilizar as Fichas com Dados de Segurança de Produtos Químicos. Os produtos devem ser classificados quanto aos perigos para a segurança e a saúde dos trabalhadores e de acordo com critérios estabelecidos pelo Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos (GHS), da Organização das Nações Unidas. A rotulagem preventiva deve conter: identificação e composição do produto químico, pictograma(s) de perigo, palavra de advertência, frase(s) de perigo e precauções e informações suplementares. O fabricante ou n. de importação, fornecedor no mercado nacional deve elaborar e tornar disponível ficha com dados de segurança do produto químico para todo produto químico classificado como perigoso. Existem também sinais que indicam perigo, atenção, cuidado, entre outros.

Referência:
Norma regulamentadora nº 26, de 2011. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Disponível em: <http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/nr/nr26.htm>. Acessado em 20 ago. 2017.